Contato: (67) 98186-1999 - Mande um whats!
Home | Notícias | Fotos | Vídeos | Anúncie | Contato

Terça-feira, 19 de Junho de 2018





Manifestantes ocupam triplex atribuído a Lula no litoral de SP
Cerca de 50 integrantes do MST fazem parte do movimento


16 de Abril de 2018 - 12:43           principal  |  imprimir - Enviar Materia

 

Manifestantes ocupam triplex atribuído a Lula no litoral de SP

 
 
Cerca de cinquenta manifestantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) e da Frente Povo Sem Medo ocupam, na manhã desta segunda-feira (16), o triplex atribuído ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na Praia das Astúrias, em Guarujá, no litoral de São Paulo.

O protesto acontece nove dias após Lula se entregar para a Polícia Federal em São Bernardo do Campo e ser encaminhado para Curitiba. Ele está preso desde o último dia 7, após permanecer por dois dias na sede do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC. O caso triplex causou a condenação de Lula por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Ele é o primeiro ex-presidente do Brasil condenado por crime comum.

Os manifestantes chegaram ao local por volta das 8h30. "Se o triplex é do Lula, podemos permanecer. Se não é, por que ele está preso?", explica o manifestante do MTST, Josué Rocha. Segundo ele, mais de 50 pessoas estão dentro do triplex, e outros cem manifestantes estão em frente ao prédio.

O grupo estendeu faixas com mensagens: "Povo Sem Medo", "Se é do Lula, é nosso" e "Se não é, por que prendeu?", na sacada do triplex. "Queremos provocar essa discussão. Eles não têm provas de que o triplex é do Lula, não há nenhuma prova da propriedade, a condenação é uma farsa", conta o manifestante.

Rocha ainda explica que a entrada no triplex foi pacífica, sem nenhum registro de violência. Viaturas da Polícia Militar acompanham o protesto que não tem previsão de término.

Lula foi condenado pelo juiz Sérgio Moro após o magistrado entender que a construtora OAS pagou R$ 2,2 milhões em propina a Lula por meio da entrega do triplex e reformas no imóvel. O recurso foi analisado por três desembargadores do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, nesta quarta-feira, e Lula acabou condenado em segunda instância por três votos a zero. Os desembargadores ainda aumentaram a pena para 12 anos e um mês de prisão.










Plantão

.
19/06/2018 - 08:20   Ex-ministro Eliezer Batista, pai de Eike Batista, morre aos 94 anos no Rio
19/06/2018 - 08:10   Editora UEMS recebe a partir do dia 25 obras para publicação
19/06/2018 - 08:07   Dupla é presa por tentativa de homicídio contra vendedor de espetinhos
19/06/2018 - 08:04   Silvio Santos revela que prefere as novelas da Globo: ´elas têm sacanagem´
19/06/2018 - 08:02   Calote em venda de fazenda teria motivado atentado a prefeito
18/06/2018 - 19:40   Aliando humanização e assistência, HU-UFGD implementa Núcleo de Saúde Indígena
18/06/2018 - 19:35   Fundação MS divulga plataforma para escolha de insumos agrícolas
18/06/2018 - 19:03   Prefeitura adquiri nova ambulância para hospital municipal
18/06/2018 - 18:10   BR-163/MS sedia ação de saúde da CCR MSVia nesta quarta
18/06/2018 - 16:35   Lamper Digitalização vence licitação, locação de Software para atender Câmara de Itaporã
18/06/2018 - 15:08   Mais dois terminais portuários serão leiloados em setembro
18/06/2018 - 15:07   Seduc goleia Maracaju e garante classificação para as quartas do Sub-17
18/06/2018 - 15:06   Comboio é apreendido com mercadoria contrabandeada
18/06/2018 - 15:04   Acessórios de cabelo para aquecer você neste inverno
18/06/2018 - 15:02   Centro Internacional de Negócios capacita empresários sobre novo processo de exportações
18/06/2018 - 15:00   DPVAT pagou mais de 3 mil indenizações em MS em cinco meses
18/06/2018 - 14:58   Pessoas com doenças cardíacas não se exercitam o suficiente, diz estudo
18/06/2018 - 14:56   Com dois de Lukaku, Bélgica derrota o Panamá por 3 a 0
18/06/2018 - 14:54   Países do Mercosul assinam acordo para rótulo frontal de alerta em alimentos
18/06/2018 - 14:53   Definidos os campeões do estadual de beach tennis
 
 


















Itapora Agora - Onde a Noticia Acontece

(67) 98186-1999 - Mande um whats!