Home | Notícias | Fotos | Vídeos | Anúncie | Contato

Sexta-feira, 19 de Janeiro de 2018





Audiência pública ´família acolhedora´ leva centenas de pessoas a câmara de vereadores
Após a audiência pública o projeto será levado as comissões em seguida ao plenário para votação dos vereadores


14 de Novembro de 2017 - 22:06           principal  |  imprimir - Enviar Materia

 

 
 
A audiência pública sobre o Programa Família Acolhedora, que aconteceu nesta terça-feira (14/11) , no plenário Câmara Municipal, às 19h, contou  com público estimado alunos professores e diretores presidente de entidades e pessoas interessadas em saber sobre como funciona o programa Família acolhedora

Segundo o vereador Cascatinha, o objetivo foi justamente apresentá-lo à comunidade a fim de conseguir  de que o projeto passe pela câmara de vereadores e em seguida seja sancionado pelo Executivo municipal.
 
A audiência contou com presença do  Dr.Evandro Endo,  juiz de direito da Comarca de Itaporã, gerente de Assistência Social ,Tânia Mara Custódio, que no ato representou o prefeito Marcos Paco,  coordenadora da casa de acolhimento em Itaporã, Maria Aparecida de Brito, Conselheira Tutelar Luciane Viana, Assistente Social da Comarca de Camapuã, Dirlene Joseli Colla da Silva, representante do Ministério Público Dr Vinícius Fernandes Cherem, defensor público,  vereadores Lourdes Struziati, Lindomar de Freitas, Ademir de Freitas, Célia Frota e o proponente do projeto José Odair (cascatinha). Estiveram presentes representantes de partidos políticos além de alunos diretores e professores de algumas escolas do município.  

Tânia Mara Custódio, ao fazer o uso da palavra disse,  que o projeto é de suma importância para o município,  porém todo o projeto traz algumas inseguranças e preciso ser bem elaborado.Ela citou a exemplo o município de Alcinópolis que enfrentou problemas com o programa Família acolhedora, outra cidade  Inocência que o projeto funcionou apenas por 33 dias e as famílias cadastradas desistiram. Tânia Mara elogiou o município de Camapuã que há 15 anos possui o projeto família acolhedora e que hoje é referência no estado de Mato Grosso do Sul.

Assistente Social da Comarca de Camapuã Dirlene Joseli, durante todo o tempo de sua apresentação, falou da importância da reintegração da criança ou adolescente à sua família e de se trabalhar com afinco tanto a família de origem quanto a família acolhedora para que se alcance o objetivo do programa.
 
Para o juiz , Evandro Endo, programa é de uma grandiosidade imprescindível. “Há muito tempo o judiciário tinha soluções certas para situações muito complexas. Hoje é preciso que se tenha diversas soluções para os conflitos ocorridos com as crianças e adolescentes, pois cada caso requer uma solução específica.

Após audiência o projeto segue para ser votado pelas comissões e só depois é levado ao plenário para votação dos vereadores

O Programa Família Acolhedora tem como objetivo viabilizar o acolhimento, por famílias voluntárias, de crianças e adolescentes vítimas de violência reiterada em seus lares, evitando a necessidade de encaminhá-las a um abrigo. O programa acolhe casos encaminhados pelo Judiciario  em que os direitos da criança/adolescente foram violados e que foi entendido que há possibilidade dessa criança ser reintegrada ao seu convívio familiar de origem.
 
Para o sucesso do programa é preciso: famílias acolhedoras – que são aquelas que se propõem  acolher em suas casas – e crianças/ adolescentes que necessitam ser afastados do seu meio familiar e comunitário, mediante medida de proteção por um período provisório, já que elas serão reintegradas à família de origem. O período de convivência com a família acolhedora pode chegar a um ano e para manutenção das despesas do acolhido, a família recebe um subsídio que será pago pela Prefeitura Municipal
 
 
Redação/Agora












Plantão

.
19/01/2018 - 14:40   De férias com a família, Ticiane Pinheiro usa vestido de 30 mil na praia. Fotos
19/01/2018 - 14:20   Wanessa Camargo fica fora de desfile da Mocidade no Carnaval: ‘Decisão difícil’
19/01/2018 - 14:17   Ao todo, contratos custarão R$ 867,9 mil aos cofres estaduais
19/01/2018 - 14:08   Governo anuncia construção de 100 casas populares no interior do Estado
19/01/2018 - 14:06   Motociclista de 40 anos morre atropelado por carro na rodovia MS-487
19/01/2018 - 14:00   Filho de Patricia Abravanel abraça a irmã recém-nascida, Jane: ‘Amor’
19/01/2018 - 12:20   Joãozinho Engraxate´ morre aos 66 anos em Dourados
19/01/2018 - 12:00   Conselho define procedimentos para saque de cotas do PIS/Pasep
19/01/2018 - 11:40   Acidentes graves em rodovias federais caem 7,5% em 2017; número de multas sobe
19/01/2018 - 10:40   Homem que estava caçando é preso pela Polícia Ambiental ao tentar fugir; armas e munições são apreendidas
19/01/2018 - 10:20   Taylor Swift e sua família são ameaçados de morte por perseguidor da cantora, diz site
19/01/2018 - 10:00   Entregas de uniformes em escolas da Rede Estadual começam com um mês de antecedência
19/01/2018 - 09:58   Mãe abre portão e filho acaba esfaqueado por vizinho
19/01/2018 - 09:26   Ministério da Educação reconhece 50 cursos de ensino superior
19/01/2018 - 09:19   Entregas de uniformes em escolas da Rede Estadual começam com um mês de antecedência
19/01/2018 - 08:53   Vídeo produzido por produtores de Sidrolândia viraliza nas redes sociais de Bolsonaro
19/01/2018 - 08:45   Terminam hoje inscrições para vagas com salários de até R$ 8,4 mil
19/01/2018 - 08:40   Chuva abre cratera em rodovia de MS, carro cai e duas pessoas ficam feridas
19/01/2018 - 08:20   MS quer Maracaju como ponto de partida da Ferroeste
19/01/2018 - 08:07   Prazo para segunda etapa de matriculas na rede estadual termina nesta 6ª feira
 
 


















Itapora Agora - Onde a Noticia Acontece

(67) 8171-8561 - Mande um whats!